Como o corpo regula a temperatura?


 

Neste tópico vamos citar dois textos de fontes seguras. O primeiro é do site Saúde Total e o segundo, da Editora Abril, Saúde é Vital.

 

 

Regulação da Temperatura corporal

 

A pele elimina ou conserva o calor do seu corpo, conforme a necessidade. Para dissipar o calor em excesso, produz o suor. Para manter a temperatura, provoca o arrepio. Você está adaptado para “funcionar” à temperatura de 36,5 º C. Quando ela aumenta, é preciso dissipar o calor. Então, sua pele produz o suor, através das glândulas sudoríparas.

Mas como é que o suor elimina calor? A explicação é simples, e envolve conceitos de Física: todos os elementos precisam ganhar ou perder energia para mudar seu estado físico. Ganhar energia para mudar do estado líquido para o gasoso e perder energia para mudar do estado líquido para o sólido.

É o que acontece com o suor. Ele é uma gotícula de água sobre a pele que precisa evaporar. Para isso, vai “roubar” energia da superfície da pele, esfriando-a. Quando a pele esfria, os sangue dos vasos sanguíneos que a percorrem também esfria. Bem, este sangue mais frio circula pelo todo o corpo. Assim, todo o organismo esfria. E pensar que todo este processo começa com as pequenas glândulas sudoríparas da pele.

Mas não são apenas as glândulas sudoríparas que entram em ação para diminuir a sua temperatura. Você já deve ter notado que sua pele fica avermelhada quando você pratica exercícios, tem febre, ou mesmo nos dias mais quentes. Sabe porquê? É que a pele está dando mais uma mãozinha para regular sua temperatura, desta vez através do aumento do calibre dos vasos sanguíneos. Este aumento chama-se vasodilatação, e permite que a perda de calor seja mais rápida, já que circula maior quantidade de sangue esfriado pelo corpo. E, por haver mais sangue em cada vaso, sua pele fica avermelhada.



 

Sem riscos sob o sol

 

O verão exige cuidados durante a prática de atividade física. Se a temperatura corporal subir demais pode haver encrenca: cãibra, fraqueza, tontura e desmaio. Fazendo a coisa certa, nada disso acontece.


Pingar de suor significa que o corpo luta para manter seus 37 graus Celsius de praxe. A molhadeira nada mais é do que uma estratégia do organismo para resfriar a pele e, assim, impedir que a temperatura vá às alturas.

É por isso que durante o exercício, quando cerca de 75% da energia produzida com os movimentos se transforma em calor, a camisa tende a ficar encharcada. Depois de uma hora de atividade moderada sob o sol, chega-se a perder 1 litro e meio de água.


Praticar exercícios quando o clima está quente exige mais do sistema de refrigeração corporal — o que pode ser perigoso. “O organismo passa a produzir cada vez mais suor. Isso diminui o volume do plasma sangüíneo, comprometendo não apenas o mecanismo de perda de calor, mas também o sistema cardiovascular e a própria capacidade de realizar exercícios”, chama a atenção Luiz Oswaldo Rodrigues, fisiologista da Universidade Federal de Minas Gerais. Cãibra, fadiga, tontura e desmaio são sinais de que a temperatura do corpo está passando do ponto. Ignorá-los é bastante arriscado.


O organismo pode sofrer hipertermia — ir muito além dos 39° C e parar de funcionar. “Quanto menos condicionada a pessoa estiver, mais rápido os sintomas aparecerão”, avisa Rodrigues. Por isso, se você não está acostumado a malhar, não invente de patinar no calçadão, correr na areia ou fazer trekking em pleno meio-dia sem antes se preparar. E, mesmo que seja fã antigo de exercícios, maneire no verão.

 

 

Copyright 2015-2017 © Segunda pele GO AHEAD

R. Dr. Presciliano Pinto, 691, Boa Vista, São José do Rio Preto, SP, Brasil +55 17 3363-3873

Desenvolvido por Webplus